Informação policial e Bombeiro Militar

Minha foto
Recife, Pernambuco, Brazil
Noticias de qualidade de interesse coletivo ou individual

NÃO DEIXE DE LER ISSO AQUI É MUITO IMPORTANTE

O BLO DO ADEILTON9599 ESTÁ ATUALIZADO, ABAIXO DECISÃO DO TJPE QUE ANULOU PARTE DA PORTARIA DA SDS QUE PERMITIA QUE SOLDADO FOSSE PROMOVIDO A SARGENTO SEM ANTES TER SIDO CABO, PARA VER NOVAS POSTAGEM CLIQUE NO NOME "ADEILTON9599" E NO FINAL DA PÁGINA CLIQUE EM (POSTAGEM MAIS ANTIGA)

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Dois PMs e um policial civil são presos com caminhão com carga robada de eletrodomésticos, com drogas e armas

PMs e policial civil são presos com mercadorias roubadas em MT

Dois policiais estariam fazendo a escolta de um caminhão com os produtos. Policial civil não tinha ordem de serviço, segundo a Rotam.
24/10/2014 08h28 - Atualizado em 24/10/2014 09h17
Por Denise Soares
Do G1 MT
Três policiais foram presos com mercadorias roubadas em Várzea Grande (MT). (Foto: Divulgação/PM)
Três policiais foram presos com mercadorias roubadas em Várzea Grande (MT). (Foto: Divulgação/PM)
Dois policiais militares e um policial civil foram presos na madrugada desta sexta-feira (24), suspeitos de envolvimento em roubo de produtos eletrônicos e eletrodomésticos na região da Estrada da Guarita, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Eles foram flagrados transportando um caminhão carregado com esses produtos roubados. De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, o policial civil alegou que estava com um material apreendido e iria levar para a delegacia, porém, não comprovou nenhum tipo de ordem de serviço ou documento que demonstrasse que ele estava a trabalho.
Foram presos o motorista do caminhão, de 21 anos, o policial civil, de 61, um autônomo de 24 anos, um cabo da PM, de 47 anos e um outro PM de 31. A mercadoria teria sido roubada de um hotel em construção, localizado na região do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.
O caso foi registrado após a meia-noite, depois que a polícia recebeu uma denúncia de que um veículo havia passado pela região do Bairro do Parque do Lago, em Várzea Grande. A pessoa que denunciou afirmou que as pessoas do veículo estariam armadas.
Os policiais da Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) encontraram o veículo suspeito, que estava sendo escoltado por um carro da Polícia Civil, e fizeram a abordagem. O motorista da viatura se apresentou como policial civil e inclusive mostrou documentos oficiais.
Três policiais foram presos com mercadorias roubadas em Várzea Grande (MT). (Foto: Divulgação/PM)
Três policiais foram presos com mercadorias roubadas em Várzea Grande (MT). (Foto: Divulgação/PM)
Do caminhão desceram um soldado e um cabo da Polícia Militar, além de outros dois homens. Quando foi interrogado sobre o caminhão, o suposto policial civil disse que carregava um material apreendido e estava indo para a delegacia onde registraria o boletim de ocorrência.
Porém, os policiais perguntaram ao policial civil se ele tinha alguma ordem de serviço, ou se os chefes dele sabiam dessa ocorrência e o suspeito disse que não. No interior do caminhão os policiais encontraram 55 televisores, notebooks, geladeiras, 24 frigobares e liquidificador.
O grupo também não tinha nenhuma nota fiscal e alegou que o suspeito que estava com os produtos fugiu no momento em que o policial civil fez a abordagem. Na viatura do policial a Rotam encontrou porções de pasta base de cocaína e um cheque no valor de R$ 1,6 mil. Além dos produtos a Rotam apreendeu um revólver calibre 38 e uma pistola 0.40.
Os cinco suspeitos foram presos por roubo, formação de quadrilha, tráfico de drogas e porte ilegal de arma e foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Várzea Grande. Segundo os policiais civis, o motorista do caminhão foi visto pelas câmeras de monitoramento do hotel em construção.
Os materiais teriam sido descarregados durante o dia e foram roubados pela quadrilha. Os suspeitos ainda estão sendo ouvidos pelo delegado de plantão na manhã desta sexta-feira. Conforme a PM, a pessoa que teve os produtos roubados se apresentou na delegacia e e reconheceu os produtos roubados.

Agressão com machado em Nova York foi 'ataque terrorista', diz polícia


'Ele se radicalizou', diz chefe da polícia. Homem atacou quatro policiais com um machado no bairro do Queens.
24/10/2014 18h40 - Atualizado em 24/10/2014 19h01
Da AFP
A polícia de Nova York declarou nesta sexta-feira (24) que a agressão de um homem com um machado contra dois policiais no Queens foi um "ataque terrorista", acrescentando que o indivíduo se converteu recentemente ao Islã e se radicalizou.
Nesta quinta, um homem atacou quatro policiais com um machado em uma rua no bairro do Queens.
"Nós achamos que ele agiu sozinho. Ele se radicalizou", disse o chefe de Polícia, Bill Bratton, em uma entrevista coletiva.
Segundo uma outra autoridade policial, o agressor, de 32 anos, tinha, aparentemente, a "intenção" de cometer um "ato terrorista" quando atacou os oficiais.
Imagem fornecida pela polícia de Nova York mostra homem que atacou policiais com um pequeno machado e foi morto nesta quinta-feira (23) no Queens (Foto: New York Police Department/AP)
Imagem fornecida pela polícia de Nova York mostra homem que atacou policiais com um pequeno machado e foi morto nesta quinta-feira (23) no Queens (Foto: New York Police Department/AP)

Pernambuco: Procurador Geral de Justiça faz visita ao Comandante Geral da PMPE, para tratar do assunto envolvendo um Promotor de Justiça e uma guarnição do 19º BPM.


COMANDANTE DA PM RECEBE A VISITA DO PROCURADOR GERAL DO MPPE 



O encontro aconteceu no gabinete do comando geral, no quartel do Derby     

O comandante geral da Polícia Militar de Pernambuco, coronel José Carlos Pereira, recebeu, na manhã desta sexta-feira (24), o promotor e procurador-geral do Ministério Público de Pernambuco, Aguinaldo Fenelon de Barros, tratando de vários assuntos comuns as duas instituições.   A visita do procurador-geral acontece após o episódio ocorrido na praia de Boa Viagem, zona Sul do Recife, na manhã de quarta-feira (22), envolvendo um membro do órgão e policiais militares do 19º Batalhão. 

O caso vem sendo apurado pelas corregedorias do MPPE e da Secretaria de Defesa Social (SDS).   “O Ministério Público e a Polícia Militar são instituições históricas e de respeito mútuo. O fato é visto pelo MP como uma ação isolada de um dos seus integrantes e também dos policiais militares envolvidos na ação, não retratando a relação entre elas, que funcionam de forma integrada na proteção do cidadão”, afirmou  Aguinaldo Fenelon.   

Para o comandante da PM, coronel Carlos Pereira, não se pode generalizar as ações dos membros das instituições e confundir o que ocorreu com a importância dos órgãos para a sociedade pernambucana e a boa relação que existe entre eles.   “O respeito e a integração entre a Corporação e o Ministério Público de Pernambuco sempre serão preservados, sendo este episódio um caso isolado que não afetará a relação amistosa entre as duas instituições”, destacou o coronel Carlos Pereira.   

Participaram do encontro o subcomandante geral da PM, coronel Paulo Cabral, o diretor da Diretoria integrada Metropolitana, coronel João Neto, e o comandante do 19 Batalhão, tenente-coronel Ricardo Barbosa.  

PMPE: Soldado Feminina do BPRv teve seu carro roubado por três assaltante. Vamos tentar localiza-lo.


Atenção :  efetivo da PMPE. Acabaram de Levar o Veiculo da Sd YRLLA, do BPRv . no Varadouro em Olinda. Placa :PEI1196. A Sd YRLLA se encotra grávida! O carro dela é um Uno ViVACE  Vermelho
Colocaram a arma na rosto dela, são Bandidos armados! 

Divulga ai pessoal

!

Exército autoriza Agentes Penitenciários e Guardas Prisionais a comprarem armas de uso restritos dos seguintes calibre: 357 Magnum, .40 S&W ou .45 ACP, em qualquer modelo.



PORTARIA No 1.286, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014.

Autoriza a aquisição de arma de fogo de uso restrito, na indústria nacional, para uso particular, por integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais e dá outras providências.

O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4o da Lei Complementar no 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar no 136, de 25 de agosto de 2010, e o inciso VI do art. 3o combinado com o inciso I do art. 20 da Estrutura Regimental do Comando do Exército, aprovada pelo Decreto no 5.751, de 12 de abril de 2006, considerando o disposto no art. 6o e no art. 27 da Lei no 10.826, de 22 de dezembro de 2003, e no art. 18 do Decreto no 5.123, de 1o de julho de 2004, e de acordo com o estabelecido nos arts. 189 e 190 do Decreto no 3.665, de 20 de novembro de 2000, e, ainda, de acordo com o que propõe o Comando Logístico, resolve:

Art. 1o Autorizar os integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais a adquirirem, na indústria nacional, para uso particular, 1 (uma) arma de porte, de uso restrito, dentre os calibres .357 Magnum, .40 S&W ou .45 ACP, em qualquer modelo, observadas as condições previstas no §1o -B do art. 6o da Lei no 10.826, de 22 de dezembro de 2003.

Art. 2o Determinar ao Comando Logístico que edite normas reguladoras da aquisição, do registro, do cadastro e da transferência de propriedade de armas de fogo de uso restrito adquiridas pelos integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais e, ainda, a aquisição das correspondentes munições, estabelecendo:

I - mecanismos que favoreçam o controle das armas;

II - o destino das armas após o falecimento do adquirente, ou qualquer impedimento que contraindique a propriedade e posse de armas de fogo; e

III - o destino das armas nos casos de exoneração, voluntária ou de ofício, dos integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas
prisionais.

Art. 3o Estabelecer que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação.

10 - Boletim do Exército no 43, de 24 de outubro de 2014.

Fonte: Boletim do Exército no 43, de 24 de outubro de 2014. 

Para ver cliqu AQUI

Pernambuco: a Associação do Ministério Público de PE, solta nota de desagravo em favor do Promotor que se envolveu em ocorrência com PMs do 19º BPM da PMPE! Veja a nota de desagravo.

AMPPE publica nota de desagravo em favor do Promotor Westei Conde

NOTA DE DESAGRAVO:

A Associação do Ministério Público de Pernambuco (AMPPE), entidade civil que reúne os Promotores e Procuradores de Justiça do Estado de Pernambuco, fundada em 17 de junho de 1946, vem a público expedir a presente NOTA DE DESAGRAVO em favor do Promotor de Justiça, Dr. Westei Conde y Martin Júnior, pelas razões doravante aduzidas:

1. No dia 22.10.2014, durante a manhã, o Promotor de Justiça ora desagravado foi, de forma indevida, abordado por policiais militares do Estado Pernambuco, apenas porque fotografou uma viatura policial estacionada em local proibido, na Av. Boa Viagem, em Recife, mesmo quando havia várias outras vagas livres para estacionamento.

2. O Promotor de Justiça desagravado foi cercado, posteriormente, por diversos policiais militares, trazidos por mais de 06 (seis) viaturas policiais, os quais, de forma desproporcional e cerceando o seu direito de ir e vir, impedindo-o de sair do local dos fatos, passaram a exigir que ele se identificasse a todo tempo, para cada policial militar que chegava ao local. Importante aduzir que o Dr. Westei já havia se identificado para o primeiro policial militar, que desceu da viatura policial, afrontado apenas porque o veículo fora fotografado.

3. Westei Conde y Martin Júnior é Promotor de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos do Recife e uma das suas atribuições é, justamente, apurar a eventual conduta excessiva e irregular de determinados integrantes da PMPE em desfavor dos direitos do cidadão, além de fiscalizar a forma como são formados/treinados os soldados que ingressam nos quadros da referida Polícia Militar pernambucana.

4. Independentemente disso, Westei Conde, antes de atuar como Promotor de Justiça, estava no seu direito de, como cidadão, questionar o estacionamento irregular de determinada viatura policial, que, por estar guiada por policiais militares, deveria dar o exemplo, estacionando em um local permitido, pois, como destacado, havia várias vagas disponíveis quando os fatos ocorreram.

5. Não se justifica, de forma alguma, uma abusiva abordagem policial, agressiva desde o primeiro momento, revelada desproporcional pela quantidade de policiais militares e viaturas deslocadas ao local para afrontar um único cidadão, apenas e tão somente porque uma viatura policial militar foi fotografada quando estava estacionada em um local proibido.

6. A abusiva atuação de determinados policiais militares, revelando despreparo para o exercício da função, chegou ao cúmulo de, através de um integrante do serviço reservado da PMPE, propor a condução do Promotor de Justiça desagravado a uma Delegacia de Polícia, ignorando as prerrogativas institucionais de um membro do Ministério Público, previstas no art. 40 da Lei 8.625, de 12.02.1993.

Por conseguinte, há de se reconhecer como lamentável, abusiva e desproporcional a conduta dos policiais militares envolvidos no caso em questão.

Dentro de tal contexto, a Associação do Ministério Público de Pernambuco, considerando a reputação ilibada e a brilhante carreira construída pelo Promotor de Justiça Westei Conde y Martin Júnior, ao longo da sua trajetória profissional, no Ministério Público de Pernambuco, ao tempo em que DESAGRAVA PUBLICAMENTE O SEU ASSOCIADO, ressalta que adotará toda e qualquer medida administrativa ou judicial necessária para reverter o equívoco policial perpetrado, a fim de garantir o respeito pelas prerrogativas dos membros do Ministério Público e pelos direitos de qualquer cidadão de questionar ações de agentes públicos, sejam eles policiais ou não.


Recife, 23 de outubro de 2014.


A DIRETORIA

Fonte: AMPPE

Concurso para soldado da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros convoca 1774 candidatos

Paraíba 

Concurso para soldado da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros entra na 3ª etapa e convoca 1774 candidatos
O Governo do Estado convocou 1.774 candidatos para realizarem os exames de saúde do concurso público para soldado da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. A avaliação será feita entre os dias 3 e 14 de novembro e os candidatos devem conferir o dia e local de apresentação, divulgados nosite www.pm.pb.gov.br, desde a quarta-feira (23).
Esta é a terceira etapa do certame, que tem caráter eliminatório, onde concorrem todos os aprovados no exame psicotécnico, etapa anterior realizada no mês de setembro.

Os candidatos foram divididos em grupos para a realização dos exames de saúde, que acontecerá de 3 a 7 no Centro de Educação da PM, em João Pessoa, de 10 a 12 no 2º Batalhão, em Campina Grande, e nos dias 13 e 14, no 3º Batalhão, na cidade de Patos, de acordo com a opção de vaga feita por cada candidato.
A coordenadora adjunta de Comunicação da Polícia Militar, capitã Carla Marques, informa que a terceira etapa tem o objetivo de avaliar o estado geral de saúde do candidato, tanto físico, quanto mental. “A avaliação é feita para apontar se o candidato possui condições indispensáveis ao desempenho da atividade policial militar, que exige critérios de saúde específicos dos profissionais que vão trabalhar para promover a segurança pública dos cidadãos paraibanos”, destacou.
Os candidatos devem observar atentamente a data de apresentação e levar, no horário e local estabelecidos na convocação, todos os 14 exames laboratoriais exigidos no concurso. No dia da entrega, os convocados irão se submeter também a exames médicos, odontológicos e biométricos – este último avaliando altura, que é de no mínimo 1,65 m para o masculino e 1,60 m para o feminino. Os detalhes sobre as exigências desta etapa podem ser conferidos no item 9 do edital do concurso, disponível também no site da Polícia Militar, na parte de concursos públicos. O certame terá ainda duas fases, a física e a avaliação social. 
Maior da história – O concurso para soldado da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, realizado este ano, foi o maior da história das duas instituições, com mais de 58 mil inscritos. O Estado paga atualmente a um soldado – cargo que exige nível médio de escolaridade – o salário inicial de R$ 2.548,16, podendo ainda receber adicional por plantão extra remunerado, que chega a R$ 1.025,46 de complemento, além de gratificações inerentes ao cargo. O salário é reajustado todo mês de janeiro com a data-base do servidor público do Estado da Paraíba.

Fonte: Portal Araruna

O desabafo desesperado de um policial militar: em 10 meses, 225 policiais foram baleados e 65 morreram. Dos atingidos, 134 estavam exercendo sua profissão. Em um período de apenas 23 dias, 21 policiais foram atingidos por tiros. Os agentes reivindicam melhores condições de trabalho, escalas mais justas e o direito às folgas. O Comando informa que, em caso de insatisfação e excesso de trabalho, os policiais procurem seus superiores e que as escalas extras vão continuar por tempo indeterminado.

O desabafo desesperado de um policial militar


Redação SRZD

Em 10 meses, 225 policiais foram baleados e 65 morreram. Dos atingidos, 134 estavam exercendo sua profissão. Em um período de apenas 23 dias, 21 policiais foram atingidos por tiros. Esses são números recentes da Polícia Militar do Rio de Janeiro.
O desabafo abaixo, de um policial militar com três anos de carreira, está percorrendo as redes sociais e ganhando apoio de outros PMs, que concordam com a declaração e pedem mudanças na corporação.
Os agentes reivindicam melhores condições de trabalho, escalas mais justas e o direito às folgas, que os mesmos não têm de forma efetiva, já que são escalados para dar apoio à Unidades de Polícia Pacificadora, como a da Nova Brasília, no Complexo do Alemão, Zona Norte.
A Coordenadoria de Polícia Pacificadora indica que, em caso de insatisfação e excesso de trabalho, os policiais procurem seus superiores. Além disso, afirmou que o apoio de PMs a outras UPPs é por tempo indeterminado.
Foto: Reprodução de Internet
Leia o desabafo do policial, que terá sua identidade preservada:
Infelizmente, depende da tropa uma resposta urgente. Ou nos unimos para gritarmos juntos e lutarmos pelas nossas vidas, ou continuaremos sendo voluntários camicaze, formados para morrer.
Vergonhoso demais. Já está na hora de buscarmos nossa dignidade dentro de nós mesmos,ou continuaremos a perder amigos, até que nossos entes nos percam.
Temos que marcar o dia do fico: fico vivo, não entro mais nos becos para morrer. Até que seja feito algo para preservar nossas vidas. Operações verdadeiras, humanas, justas e em prol da razão, não de votos. 
Tô de saco cheio, com vergonha, humilhado disso tudo. Tenho 3 anos de policia. Mais de 50 prisões nessa instituição, muito suor deixado aqui em tão pouco tempo. Mas tenho também um filho de 5 anos. Esse me espera vivo em casa, esse depende de mim, infelizmente, para não ter que virar um policial e ter que abdicar dos seus filhos como faço com ele, para ser alvo vivo de marginais formados por uma política suja, nojenta, covarde, camicaze e desleal.
Ninguém pode nos forçar a morrer pela PMERJ. Juramos sim, com o sacrifício da própria vida, mas cadê o estado que na hora do juramento nos abraçava, nos amparava, nos recebia? Esse estado não existe, o que existe é um labirinto, onde em todos os becos existem fuzis, glocks, pistolas, granadas, ponto 30,e marginais protegidos e intocáveis ,esperando a hora de deixar saudades, lágrimas e sofrimento
nos meus, nos seus, nos nossos filhos, pais, mães, esposas, esposos, familiares...
Rasgaram o sonho de centenas de nós.
Acabaram com o significado VIDA nessa PMERJ.
S.O.S
Meu filho precisa de mim, e eu preciso estar vivo.
Vamos lá galera, vamos gritar! Nao aguento mais rifar minha vida por 2 mil e poucos reais, esperando eu ser o proximo sorteado e ganhar uma salva mentirosa de tiros, e ouvir dizerem para meus familiares: 'perdemos um herói'.
Pra mim chega disso tudo.
Por favor, nos ajudem!
Fonte: Blog do Jornalista da Globonews Sidney Rezende

Policiais Militares do Estado do Ceará, mas precisamente do Batalhão de Elite RAIO declara apoio ao candidato de oposição ao governo do Estado, mas com os seu rostos coberto para não ser identificados porque os PMs de lá que declararam apoio ao candidato de oposição estão com PAD - Processo Administrativo Disciplinar por ter feito o apoio. Veja o vídeo do Batalhão RAIO.



RAIO FAZ VÍDEO EM APOIO AO EUNÍCIO

As declarações da família Ferreira Gomes contra a honra e moral dos policiais militares quebraram toda base harmônica da Polícia Militar. A revolta dentro de cada homem de bem da corporação fez com que o RAIO fizesse um vídeo e que agora vocês tem acesso em primeira mão.

Assistam!!!

video

Assassinato da delegada: polícia investiga crime passional ou ação de milícia na morte de delegada


Polícia investiga crime passional ou ação de milícia na morte de delegada


Área onde delegada morava, era Realengo, é controlada por milícias. 
Não havia sinais de arrombamento na porta da casa da policial.


Do G1 Rio

A Polícia Civil do Rio investiga a hipótese de crime passional ou da ação de milicianos para a morte da delegada adjunta da 36ª DP (Santa Cruz),Tatiene  Damaris Sobrinho Damasceno Furtado, como mostrou o RJTV. Ela foi encontrada em sua casa na Rua Lomas Valentinas, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Policiais da Divisão de Homicídios estavam no local por volta de 14h45.


Segundo a Polícia Militar, não havia sinais de arrombamento, no imóvel. O corpo da policial não tinha marcas de tiros, nem facadas. Havia, no entanto,muitos hematomas, o que, de acordo com os investigadores, poderia indicar que ela lutou com o assassino antes de ser morta.
A hipótese de crime passional não está descartada porque, pelas caracaterísticas do homicídio, o assassino pode ser uma pessoa que ela conhecia. Outra possibilidade é a de vingança: a área onde a delegada morava é dominada por milícias.
Delegada é encontrada morta em casa na Zona Oeste do Rio (Foto: Reprodução/TV Globo)Delegada estava lotada na 36ª DP (Santa Cruz),
Zona Oeste do Rio (Foto: Reprodução/TV Globo)
Agentes da divisão afirmaram que o corpo, aparentemente, não tinha marcas de tiro ou facadas, mas apresentava hematomas. Segundo informações de inspetores de polícia, a delegada estava sofrendo ameaças de um grupo de milicianos. Ainda segundo agentes da Polícia Civil, a Divisão de Homicídios convocou os delegados da região onde Damaris foi encontrada morta para uma reunião em caráter emergencial.
Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a Divisão de  Homicídios  instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte da delegada. Às 16h40, estava sendo realizada perícia no local. Ainda de acordo com a nota, equipes da delegacia estão em busca de testemunhas e imagens de câmeras de segurança da região que possam ajudar nas investigações. Por enquanto, nenhuma hipótese para o crime é descartada, de acordo com a corporação.
Tatiene entrou na Polícia Civil, em 2005, como papiloscopista. Em 2008, ela foi aprovada no cargo de delegado de polícia. A delegada trabalhou na 34ª DP (Bangu) e 35ª DP (Campo Grande) e, desde agosto desse ano, atuava como delegada assistente da 36ªDP (Santa Cruz). Todas as unidades ficam da Zona Oeste, região que concentra grupos de milicianos. Damaris trabalhou em investigações como a que apurou o rompimento de uma adutora na Zona Oeste em 2013.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1.
Delegada foi morta na Rua Lomas Valentinas, em Realengo (Foto: Fernanda Rouvenat/G1)Delegada foi morta na Rua Lomas Valentinas, em Realengo (Foto: Fernanda Rouvenat/G1)

Polícia Federal indicia 17 pessoas por venda de gabaritos do Enem 2013, Quatorze são alunos que podem estar cursando universidades públicas

Polícia Federal indicia 17 pessoas por venda de gabaritos do Enem 2013

A duas semanas da nova edição do exame, federais indiciam envolvidos em fraude. Quatorze são alunos que podem estar cursando universidades públicas

Guilherme Paranaiba
Publicação: 24/10/2014 06:00 Atualização: 24/10/2014 07:29


Investigações começaram a ser feitas pela Polícia Civil, que desvendou esquema de venda de gabaritos, e passaram à polícia federal, por envolverem concurso nacional 
Dezessete pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal por fraude no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013. Três são acusados de integrar a quadrilha que vendia respostas para os candidatos e 14 são alunos que fizeram os testes, segundo a PF de Minas Gerais, e podem ter usado a artimanha para ingressar em universidades públicas. A duas semanas das provas de 2014, é a primeira vez que a corporação admite a fraude, com base em um inquérito aberto em dezembro do ano passado para apurar os fortes indícios de venda de gabaritos, descobertos pela Polícia Civil mineira. Na ocasião, equipe de policiais de Caratinga, no Vale do Rio Doce, desbaratou uma quadrilha que comercializava respostas de vestibulares de faculdades particulares de medicina de Minas e do Rio de Janeiro. Em escutas telefônicas, investigadores descobriram que, dos 21 presos na época, pelo menos dois também operavam com respostas do Enem. 

Como o trabalho da Polícia Civil esbarrou em um exame nacional, coube à PF detalhar as investigações sobre a fraude. Além de José Cláudio de Oliveira, de 42 anos, e Quintino Ribeiro Neto, de 67, os agentes federais identificaram mais um integrante da quadrilha. As funções de cada um não foram informadas pela PF, mas a Polícia Civil, na época, indicou que José Cláudio era o líder do esquema. Ele teria desembolsado R$ 10 mil pelas provas de sábado e domingo do ano passado, que foram apreendidas em seu carro quando ele foi preso. No verso de um dos cadernos, havia cerca de 40 números de celular anotados à mão. Segundo as investigações da Polícia Civil mineira, seriam telefones de clientes que deveriam receber o gabarito via mensagem de celular ou ponto eletrônico.

Com acesso privilegiado às provas, apontaram os investigadores, Cláudio mandava as questões a uma equipe de “pilotos”, pessoas de alto nível intelectual, responsáveis por responder cada item. De posse das respostas, ele as disparava aos clientes, que pagavam entre R$ 70 mil e R$ 100 mil pelo gabarito. Quintino foi apontado pela Polícia Civil como o principal agenciador de candidatos. As investigações encontraram em um endereço de e-mail operado por ele várias fichas e senhas de inscrição no Enem. Essa seria a forma de checar quem tinha se beneficiado, para cobrar o pagamento. 

As conversas captadas pela polícia indicaram que José Cláudio ridicularizava a segurança do Enem, apontada por ele como muito mais frágil do que a das faculdades particulares. Em uma das conversas, ele é questionado por um interlocutor. “O Enem é mais fácil?”, pergunta o homem. “É mais fácil, ‘né’? Bagunçado, ‘né’? É tudo escolinha pública que aplica”, comentou Cláudio. “É esse povinho de colégio que toma conta. Não tem detector de metal, não tem nada no banheiro, é tudo uma zona”, completou.


Segurança

A edição deste ano do Enem terá 8,7 milhões de participantes, 21,6% a mais que em 2013, quando houve 7,17 milhões. Pela primeira vez, candidatos poderão ser revistados com detector de metal, eliminando uma brecha que no ano passado garantiu a entrada de estudantes com celulares, segundo a polícia. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC), não informou se todos os candidatos serão revistados ou apenas aqueles sob suspeita, alegando razões de segurança do exame. O número de equipamentos para revista eletrônica também não foi informado.

Em nota, o Inep afirmou que tão logo tomou conhecimento das supostas irregularidades, solicitou abertura de investigação pela Polícia Federal. A instituição informou que tem colaborado com as investigações, mas que ainda não recebeu o relatório da PF. Segundo o texto, se comprovado que qualquer participante teve acesso a vaga no ensino superior em decorrência de fraude, o estudante será punido com exclusão do curso. “Esclarecemos ainda que o Inep trabalha continuamente com a Polícia Federal no sentido de garantir a segurança do Enem”, informou o texto.

Segundo a PF, ao serem indiciados, os envolvidos vão responder por fraudes em certames de interesse público, corrupção ativa e passiva e organização criminosa. Somadas, as penas podem variar de nove a 38 anos de reclusão. 

O advogado Alexsandro Victor de Almeida, que representa José Cláudio de Oliveira, negou participação de seu cliente no esquema do Enem investigado pela PF. “As gravações sozinhas não provam nada. Ele só foi envolvido no caso das faculdades de medicina porque é parente de um dos alunos apontados pela polícia como participantes da fraude”, sustenta. Já Antônio Hermelindo Ribeiro Neto, que representa Quintino Ribeiro Neto, disse que não tem informações para comentar o inquérito da PF. “Nem comigo ele comenta sobre o caso. Mas nega veementemente todas as acusações”, diz. Ambos já respondem a processo na Comarca de Caratinga, relativo ao golpe nas faculdades particulares investigado pela Polícia Civil. Eles ficaram seis meses presos, mas foram soltos em maio e aguardam a instrução do processo em liberdade. (Com Landercy Hemerson)

Fonte: O Estado de Minas

Juiz determina que Estado convoque os 824 concursados da Polícia Militar

Rio Grande do Norte

Decisão foi  publicada nesta quinta-feira, como forma de melhorar a segurança pública do RN.

Por Redação

Foto: Thyago Macedo / Portal BO

O juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública, emitiu uma sentença, nesta quinta-feira (23), determinando que o Governo do Estado convoque os 824 concursados da Polícia Militar para o curso de formação de soldado. De acordo com o magistrado, “ter-se-a maior sensação de segurança, ter-se-a sensação de realização de justiça. O serviço público que será prestado por esses candidatos será, por certo, uma representação singular de justiça social”.
A determinação partiu de uma ação da Associação dos Praças da Polícia Militar (Aspra). O juiz Cícero Martins escreveu em sua decisão: “o sentimento deste julgador, assim como de toda a sociedade, é que a segurança pública, dever do Estado e responsabilidade de todos, precisa ser melhorada no Estado do Rio Grande do Norte, e o ingresso dos 824 candidatos que estão aptos a participar das demais fases do concurso sem dúvida será um grande reforço. Não pode o Judiciário, neste momento de angústia em razão da insegurança, deixar de concretizar o texto constitucional na questão da segurança pública, pois ele é um reflexo da esfera pública e do desenvolvimento da cidadania como mecanismo político-jurídico de inclusão social”.
Ele ressalta que: “embora o eventual ingresso de todas essas pessoas nos quadros da PMRN não venha a ser a solução dos problemas da segurança pública, com certeza contribuirá para a sua melhora. E há orçamento para tanto, pois é obrigação do Estado, que não conseguiu concluir correta e legalmente o concurso, arcar com esse ônus, que não comprometerá o chamado limite prudencial, já que haverá uma decisão judicial a respaldar o dispêndio”.
A decisão de convocação é referente ao Concurso Público relativo ao Edital nº 001/2005. A sentença estabelece que sejam convocando todos os candidatos aprovados na 2ª fase (resultado publicado no DOE de 08/10/2013) e aqueles cuja relação de nomes se encontra nos autos (representados pela ASPRA/RN) para a 3ª fase do certame, devendo ser realizada a inscrição dos aprovados na etapa seguinte, correspondente ao Curso de Formação de Soldados, e após colhidos o resultados, realizada a promoção dos aprovados ao cargo de Soldado PM/RN.
Deverão ser publicados no Diário Oficial do Estado os resultados de todas as fases que forem realizadas, passando o prazo prescricional do concurso a ser contado a partir da publicação da última fase (quarta).